Notícia

FADEP oferece curso de extensão em Libras e reúne alunos de diversas cidades da região

Publicado dia 17/04/2019 às 07:31

Reunindo profissionais de várias áreas e moradores de diferentes cidades da região, a FADEP atua na inclusão da pessoa surda no Sudoeste do Paraná e Noroeste de Santa Catarina

A Faculdade de Pato Branco (FADEP), por meio da Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão (COPPEX), está ofertando curso de extensão de Língua Brasileira de Sinais (Libras), nos níveis básico e intermediário. As aulas iniciaram neste mês de abril e a formação conta, hoje, com mais de 50 alunos, de diversas cidades da região, entre elas Francisco Beltrão, Coronel Vivida, Clevelândia, Palmas, Honório Serpa e Pato Branco.

Os participantes são profissionais de diferentes áreas, que se interessam e têm consciência sobre a necessidade de dominar a Libras para se comunicar de forma inclusiva com pessoas surdas, seja atuando como psicólogo, enfermeiro, advogado, administrador de empresas, professor, ou por possuir entre amigos e familiares pessoas surdas. A diversidade das faixas-etárias também chama atenção, pois os alunos têm idades entre 18 e 55 anos, o que demonstra a diversidade e a representatividade regional do curso.

Para a coordenadora de Extensão da FADEP, Profa. Ma. Gisele Regina Parsianello, a Libras é uma comunicação global e inclusiva, cuja demanda existe tanto na sociedade quanto no mercado de trabalho, sendo um ótimo caminho profissional para quem se identifica com esses valores. “Aprender Libras é aprender se comunicar com pessoas surdas no dia a dia, o que acaba levando a inclusão aos mais variados ambientes, sejam eles espaços de ensino, trabalho, setores públicos, privados, entre outros. Além disso, cada vez mais, as empresas estão em busca de profissionais que tenham algo a acrescentar ao ambiente de trabalho, além de seus conhecimentos técnicos e formação acadêmica”, avalia.

O principal diferencial do curso de Libras ofertado pela FADEP, de acordo com Profa. Ma. Gisele Regina Parsianello, é que a formação conta com dois professores em sala de aula, um surdo e um ouvinte, ambos com formação na área e aprovação da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) para estarem atuando. “No primeiro dia de aula, tivemos um vídeo de boas-vindas do diretor-regional da Feneis e temos, também, professores convidados, sempre que possível”, frisa Gisele.

Nesse sentido, ainda na primeira aula, realizada em 06 de abril, houve a participação do Mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professor Rivael Mateus Fabricio, do curso de Pedagogia da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). No total, o curso terá carga horária de 60 horas, com aulas aos sábados e encontros presenciais a cada 21 dias, em média.

Além de ter domínio da Libras para promover formas de comunicação inclusiva, no dia a dia, quem está cursando o módulo básico e o intermediário do curso ofertado pela FADEP vivencia o início da formação na área, podendo buscar outras especializações. “No curso intermediário, por exemplo, estão sendo trabalhadas questões pertinentes e exigidas em bancas de proficiência, que habilitam o profissional a atuar como intérprete de Libras, caso seja o seu interesse”, pontua a professora Luciana de Freitas Bica, psicóloga e interprete de Libras, que é uma das titulares responsáveis pelo curso.

A professora Luciana avalia, ainda, a contribuição da FADEP por atuar, diretamente, na inclusão da pessoa surda na região Sudoeste do Paraná e Noroeste de Santa Catarina. “Gratidão é o sentimento da comunidade surda do Paraná em relação à postura da FADEP, que foi a primeira instituição de Ensino Superior da região a ofertar cursos nessa área, valorizando o sujeito surdo como pessoa, profissional, cidadão e também como docente, pois temos o professor Heron Rodrigues da Silva, que é surdo, ministrando o curso conosco”, destaca Luciana.

Por que aprender Libras?

De acordo com a professora Luciana, aprender Libras é como aprender outra língua, pois exige tempo e dedicação. “Você pode se tornar bilíngue com o processo. A língua também traz agilidade para o seu raciocínio, diversificando a sua forma de pensar entre o modo verbal e o visual. Assim, além de adquirir um novo conhecimento, você também fica mais apto a aprender, com mais facilidade, qualquer outra coisa. Afinal, seu raciocínio estará muito mais veloz”, enfatiza.

Para a acadêmica do primeiro período de Medicina da FADEP, Bruna Regina Dall Agnol, participar do curso de Libras está sendo uma importante oportunidade para o seu processo de formação. “Nunca convivi com surdos, mas sempre tive curiosidade, especialmente em 2017, quando o tema foi abordado no Enem. Venho me preocupando com políticas públicas e estudando sobre formas de atender grupos minoritários e, por estar cursando Medicina, penso que, futuramente, posso auxiliar os meus pacientes surdos, facilitando suas vidas”, conta.

Bruna já consegue vislumbrar como o domínio da Libras poderá auxiliá-la no dia a dia da profissão. “No caso do médico, por exemplo, uma mãe surda pode deixar de transmitir determinada informação, caso não se faça entender. Se eu fosse surda, me sentiria muito feliz e valorizada por ser atendida por uma médica com quem eu pudesse conversar e, principalmente, por ser compreendida”, comenta.

Quem também está satisfeita por estar vivendo a experiência é Déborah Zeni Antoniazzi. “Sinto que tomei a decisão correta ao me propor a me dedicar a aprender algo novo, nesse caso a Libras, especialmente pelo fato de que temos um professor surdo e uma professora ouvinte, o que enriquece ainda mais o nosso aprendizado”, avalia.  

Os professores

O curso de Libras da FADEP tem dois professores titulares, Luciana de Freitas Bica e Heron Rodrigues da Silva. No caso de Luciana, ela possui graduação em Psicologia e em Letras Libras Licenciatura. É acadêmica do curso de Letras Libras Bacharelado na Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unioeste) e na Faculdade Eficaz, além de ser mestranda na área da Educação.  

Heron Rodrigues da Silva, por sua vez, possui pós-graduação em Educação Especial, na área da surdez, com ênfase em Libras. É graduado em Educação Física e acadêmico de Letras Libras Licenciatura.

Vagas remanescentes

Há poucas vagas remanescentes para quem estiver interessado em participar do módulo intermediário. As inscrições seguem até 03 de maio. Podem participar pessoas que já  concluíram curso básico de Libras, com carga horária mínima de 60 horas, havendo necessidade de apresentação de certificado para comprovação. Também podem ingressar acadêmicos de Letras Libras Bacharelado ou Letras Libras Licenciatura.

Para mais informações sobre as vagas e valores, basta entrar em contato com a Coordenação de Extensão da FADEP, pelos telefones (46) 3220-3071 ou (46) 3220-3095, ou pelo e-mail gisele@fadep.br.


------------
Matéria:
Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação da FADEP