Notícia

Em debate sobre literatura e sociedade, curso de PP reflete sobre o racismo no Brasil

Publicado dia 20/03/2019 às 08:06

Nesta segunda-feira, dia 18, o primeiro período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade de Pato Branco (FADEP), recebeu a professora Ma. Rosangela Marquezi, coordenadora do curso de Licenciatura em Letras da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Pato Branco. A participação ocorreu na disciplina de Cultura Brasileira e Realidade Regional e teve o tema “O negro da literatura brasileira - vozes silenciadas de um Brasil que ainda persiste enquanto realidade social”.

A professora Ma. Jozieli Cardenal, responsável pela disciplina de Cultura Brasileira e Realidade Regional neste semestre, explica que desde o primeiro dia de aula os alunos estão sendo instigados a refletir sobre a diversidade étnico-racial que constitui o tecido social brasileiro, por meio de músicas, textos teóricos e atividades lúdicas. A partir dessa etapa inicial, o desafio será provocar essa percepção nas cidades da região onde os acadêmicos residem.

“Iniciamos a disciplina refletindo sobre a busca pelo conceito universal de cultura, a partir da obra do antropólogo Clifford Geertz, partindo para autores brasileiros, como Roque de Barros Laraia e José Luiz dos Santos, para debatermos concepções deterministas, reducionistas e excludentes, insustentáveis diante de um ambiente multifacetado, como é o Brasil. A fala da professora Rosangela complementou o que estamos estudando sobre a formação da identidade nacional, especialmente por estarmos lendo Roberto DaMatta”, pontua a professora Jozieli.

Nesse sentido, em sua fala, a professora Rosangela transitou por diversos momentos da história do país, demonstrando como a literatura, enquanto manifestação artística e expressão cultural, traduziu a realidade imposta ou silenciada por grupos dominantes, especialmente no que refere-se à figura do negro no Brasil. Para tanto, ela apresentou vertentes e autores da produção literária, desde o Brasil Colônia até os dias de hoje.

“Se compreendermos que a literatura é, de certo modo, um reflexo da sociedade, não há como a dissociarmos do termo cultura. Discutir a questão da representatividade das parcelas da população que sempre estiveram à margem, tais como mulheres, negros e homossexuais, é um importante passo para a construção de sujeitos que possam dialogar e mudar estruturas sociais perversas”, analisa a professora Rosangela.

A professora Rosangela, que por cerca de 8 anos atuou como docente da FADEP, avalia a experiência de abordar a temática proposta, associando literatura, racismo e sociedade, enquanto áreas que dialogam de forma interdisciplinar e revelam-se, também, na Publicidade e Propaganda.

“Ao se pensar em discutir essas concepções e paradigmas com alunos do curso de PP, torna-se mais importante ainda a desconstrução de ideologias que mascaram preconceitos. Afinal, publicitários são importantes sujeitos no combate aos preconceitos”, completa Rosangela.

Galo Canta

Ainda na disciplina de Cultura Brasileira e Realidade Regional, a partir 01 de abril, os acadêmicos do primeiro período do curso de Publicidade e Propaganda promoverão o cronograma de apresentações do Galo Canta, projeto constituído por saraus artísticos e culturais, organizados pelos alunos. As apresentações serão sempre no bloco A, durante os intervalos, a cada 15 dias. Mais informações nos canais do curso de PP, o Galo no Bule: galonobule.wordpress.com, www.facebook.com/galonobule, www.instagram.com/galonobule e www.twitter.com/ogalonobule.

Texto: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 - PR

Fotos: Alan Winkoski, acadêmico do 5º período de Publicidade de Propaganda da FADEP.